Criado: 11 Mai 2020
Acessos: 8

Perguntas frequentes:

 

COVID-19

  • Quais são os principais sintomas da COVID-19?

Os sintomas são, de maneira geral, semelhantes ao da gripe comum, podendo a pessoa contaminada apresentar febre, cansaço e tosse seca. Em casos mais graves a COVID-19 pode causar também um quadro de insuficiência respiratória.

  • Como devo agir se apresentar algum sintoma compatível com a COVID-19?

A orientação do Ministério da Saúde é a de que, em caso de suspeita de contaminação pela COVID-19, o paciente se mantenha em isolamento domiciliar e só procure atendimento hospitalar em caso de agravamento dos sintomas. O isolamento domiciliar, neste caso, deve se estender aos demais moradores da residência. Durante o isolamento domiciliar, no entanto, é preciso estar atento aos sintomas: a qualquer sinal de dificuldade respiratória o atendimento médico deve ser procurado.

  • Quais pessoas se enquadram no grupo de risco para a COVID-19?

Segundo o Ministério da Saúde, o grupo considerado de risco para a COVID-19 inclui pessoas imunodeficientes, portadoras de problemas respiratórios, fumantes, hipertensos, diabéticos, pessoas com doenças crônicas e idosos.

  • Quanto tempo o coronavirus sobrevive em superfícies?

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que não se sabe ao certo quanto tempo o vírus que causa a COVID-19 sobrevive em superfícies, podendo esse período variar de algumas horas a alguns dias. A recomendação, portanto, é manter a higienização das mãos e de superfícies potencialmente contaminadas, limpando-as com higienizadores a base de álcool ou lavando-as com água e sabão.

 

  • Como está o funcionamento dos PSF’s com a pandemia de COVID-19?

Os PSFs estão funcionando, depois da abertura do hospital de campanha, além de urgência e emergência, por agendamentos, seguindo os protocolos de prevenção ao coronavírus  para evitar aglomerações.

 

  • Por que não ocorre a divulgação dos dados das pessoas em isolamento ou com suspeita de terem contraído a COVID-19?

A prefeitura municipal não pode divulgar dados pessoais de pessoas em isolamento domiciliar ou internação hospitalar porque respeita a lei 13.709/18 que dispõe sobre a proteção de dados pessoais. Pode divulgar por exemplo resultado de exames, idades, sexo e localidades, mas sem a identificação individual.

  • Quando um caso contabilizado como suspeito de contaminação para a COVID-19 passa a ser contabilizado como descartado?

Os casos contabilizados como descartados são aqueles com testagem laboratorial negativa para a COVID-19. Já os casos leves notificados e em tratamento domiciliar recebem alta depois que deixaram de apresentar sintomas compatíveis com a doença, e não entram na estatística dos descartados, pois não fazem o exame, que é destinado aos profissionais de saúde e aos pacientes com sintomas graves.

 

  • Por que o número relativo aos casos descartados para a COVID-19 não apresenta grandes modificações enquanto o número de casos suspeitos apresenta crescimento constante?

O número de casos suspeitos para a covid 19 cresce diariamente em função das notificações recebidas pela Secretaria de Saúde, relativas a pacientes que apresentam sintomas compatíveis com a doença. E no período que estamos vivenciando no momento, que é a estação outono, a tendência de pessoas procurarem as unidades de saúde com queixas relacionadas a gripe já é esperado. Chamamos de sazonalidade. Acrescentando a pandemia, os casos com suspeitas tendem a aumentar. Para um caso notificado ser considerado descartado, no entanto, é necessário que a testagem laboratorial para a Covid- 19 seja negativa. E os exames são realizados apenas nos casos graves e nos profissionais da saúde, como é determinado pelo protocolo de assistência do Ministério da Saúde. Enquanto os casos leves, maioria, tratados em casa, não fazem o exame e recebem alta após os 14 dias de acompanhamento da equipe do SAD sem apresentarem complicações da doença. Por isso o número dos descartados são menores.

9 - Por que não estão sendo realizados testes para todos os pacientes suspeitos de terem contraído a COVID-19?

Não existem kits de testagem suficientes para a aplicação em todos os pacientes que procuram o sistema de saúde apresentando sintomas compatíveis com a COVID-19, problema que atinge todo o país. Desta forma, os kits disponíveis então sendo destinados, primeiramente, à pacientes em situação grave e aos profissionais de saúde.

  • Se existem casos suspeitos que não estão sendo testados, isso significa que o número de casos notificados pode ser maior?

Sim. Segundo a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), responsável pela produção de grande parte dos kits de testagem distribuídos no Brasil, não existe, hoje, testes em quantidade suficiente para atender a demanda, então é possível que haja subnotificação, mesmo porque muitos pacientes são assintomáticos.

  • Os números divulgados pelo Boletim Epidemiológico contemplam apenas a sede ou todo o território do município, incluindo a zona rural?

Os números divulgados pelo Boletim Epidemiológico da Prefeitura Municipal contemplam casos notificados em todo o município, incluindo a zona rural.

  • Quais os protocolos voltados à contenção do vírus têm sido adotados pela Prefeitura?

Há uma grande preocupação por parte da Prefeitura Municipal que, desde de o início da pandemia tem tomado ações importantes no sentido de conter a disseminação do vírus. A Prefeitura tem adotado e seguido todos os protocolos indicados tanto pelo Ministério da Saúde quanto pelo Governo de Minas Gerais. Foram promulgados decretos que fecham o comércio e limitam o funcionamento de alguns setores não essenciais dentro da cidade. A Prefeitura tem trabalhado também na orientação à população e na fiscalização de comércios e serviços. A Defesa Civil da cidade também já atuou na lavagem de ruas e calçadas na região central, utilizando higienizadores a base de cloro e água sanitária.

  • O uso de máscaras é obrigatório para circulação dentro da cidade?

O uso de máscaras de proteção se tornou obrigatório em Brumadinho, no dia 22 de abril, por meio de Decreto Municipal.  A utilização da máscara pode ser eficiente para a proteção coletiva e deve ser adotada por pessoas que apresentam sintomas, como tosse ou coriza. Vale ressaltar, no entanto, a necessidade da correta utilização do equipamento de proteção. As máscaras de proteção não devem ser compartilhadas com familiares e não devem ser tocadas após colocadas no rosto.

  • Por que existem pacientes moradores de cidades vizinhas testados como positivo para COVID-19, atendidos na UPA Brumadinho, que não se encontram na contagem de casos divulgada pelo Boletim Epidemiológico?

O critério de contabilização adotado pelo Governo de Minas Gerais considerou a cidade para qual os pacientes foram transferidos como local da notificação, e a cidade de domicílio do paciente para os casos de óbito. Desta forma, os pacientes em questão não entram na contagem do município de Brumadinho.

  • Os testes para COVID-19 são realizados pela Prefeitura Municipal?

Não. Em Minas Gerais os testes para COVID-19 são realizados pela Funed (Fundação Ezequiel Dias) e por laboratórios considerados habilitados para realizar a testagem. Segundo o órgão, em Belo Horizonte, além da Funed, os exames também são realizados pelos laboratórios da Fundação Hemominas, da FioCruz Minas, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e de alguns laboratórios pertencentes à rede privada.

  • Estão sendo realizados testes para a COVID-19 nos laboratórios da cidade?

Não existe em Brumadinho laboratório habilitado para a realização dos testes para a COVID-19.

  • A que se deve a lentidão na divulgação de resultados relativos aos testes realizados para COVID-19?

A lentidão na divulgação dos resultados dos testes aplicados para a COVID-19 se deve à sobrecarga enfrentada pelos laboratórios habilitados para a testagem no Estado de Minas Gerais, assim como em todo o Brasil.

  • O hospital de campanha construído pela Prefeitura Municipal já se encontra em funcionamento?

O hospital de Campanha está em funcionamento desde o dia 20, a princípio com treinamento da equipe profissional destinada ao atendimento na iniciativa, e encontra-se aberto para atendimento para todos os casos de sintomas gripais de pacientes de Brumadinho, Mário Campos e Bonfim.

 

  • Por que os pacientes em internação hospitalar não são contabilizados como casos graves e testados para a COVID-19?

Os pacientes em internação hospitalar com sintomas do coronavírus são casos graves e fazem o teste. Se forem positivos ou negativos, entram para a estatística de confirmados ou descartados.

A Secretaria de Saúde está acompanhando os casos em isolamento domiciliar?

Sim. A Prefeitura Municipal dispõe de profissionais que fazem o acompanhamento de todos os pacientes com suspeita de COVID-19 que se encontram em isolamento domiciliar: o SAD – Serviço de Atendimento Domiciliar na Sede e o PSF – Programa de Saúde da Família no interior.

  • Serão divulgados dados sobre os casos em isolamento domiciliar que já se recuperaram?

Sim. Os pacientes em isolamento domiciliar que após algum tempo deixam de apresentar sintomas compatíveis com a COVID-19 passam a entrar na contagem do Boletim Epidemiológico como pacientes em que receberam alta.

  • A vacina contra gripe, oferecida pela Prefeitura, ajuda na prevenção contra a COVID-19?

Não. A vacina contra a gripe não possui eficácia contra a COVID-19 por serem causadas por tipos diferentes de vírus. No entanto, segundo o Ministério da Saúde, é importante que os grupos de risco tomem a vacina para facilitar a exclusão do diagnóstico para COVID-19, já que os sintomas são parecidos. A imunização contra a gripe é importante, também, para diminuir a procura por atendimento médico e, assim, evitar a superlotação do sistema de saúde.

 

OUTROS TEMAS

  • Por que as vacinas contra gripe disponibilizadas pela Prefeitura não são destinadas à toda a população?

A vacinação contra a gripe está sendo realizada no município por etapas, cada uma delas contemplando um grupo específico. Os grupos são estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

  • Por que os professores e profissionais da educação ainda não receberam a dose da vacina contra a gripe?

Os professores serão contemplados na terceira etapa de vacinação contra a gripe, que será iniciada no dia 11 de maio. Esta etapa de vacinação é destinada aos professores, não sendo atendidos, os demais profissionais da área da educação. A comprovação da condição de professor deverá ser feita mediante a apresentação de contracheques ou carteira de trabalho.

  • Procurei o meu PSF para receber a vacina contra a gripe e não consegui ser atendido (a). Como proceder?

Os PSF’s só recebem, semanalmente, doses de vacina contra a gripe que estão de acordo com o quantitativo que o município recebe e com a demanda apresentada. Quando essas doses chegam ao fim, é necessário esperar por reposição.

  • Quando será a vacinação contra a gripe na Zona Rural?

A vacinação contra a gripe será realizada na Zona Rural também em etapas, de acordo com o calendário proposto pelo Ministério da Saúde para todo o Brasil.